• +(21) 99639-3362
  • contato@guilhermekroll.com

Gastronomia

Cafundó – Baixo Castelo

Baixo Castelo

Cafundó é um lugar ermo e longínquo, de difícil acesso. É um substantivo masculino que significa “lugar muito distante” ou “fim do mundo”. Para os estudantes da Faculdade Salesiana / Castelo, Cafundó significa música de qualidade, pizza de aipim, sanduíches deliciosos e cerveja estupidamente gelada. Tudo isso numa esquina a menos de 200 metros das salas de aulas. No Rio de Janeiro, temos o ‘Baixo UERJ’ (local aonde os universitários da UERJ se reúnem para tomar cerveja depois das aulas). Em Macaé, agora temos o ‘Baixo Castelo’.   

Ontem, um show fantástico de Angélica de Paula (voz) e Rubinho (violão).

“Fui pegar minha filha Milena, que está cursando o primeiro ano de Publicidade e Propaganda na Salesiana. Na saída, encontramos o Cafundó e entramos. Que delícia”, falou Guilherme Kroll, editor-chefe do Portal Cultura em Macaé e apresentador convidado do Manhã da Globo. “A Milena adorou a Angélica. Ela me disse que foi uma das melhores cantoras que já viu atuar”.

Papo Fest (Matérias do Portal Cultura em Macaé)

A quarta noite do Papo Fest 2018 marcou a primeira vitória masculina na competição. Péra aí! Quem venceu foi um quarteto masculino: Almir Guineto, Zeca Pagodinho, Aldo Lopes e Jésus. Isso mesmo, Jésus.

O candidato Aldo Lopes trouxe para o palco do Papo Fest toda a magia de Zeca Pagodinho e Almir Guineto, ao interpretar a difícil música ‘Lama nas Ruas’, explicando que a escolha se deveu ao seu avô, Jésus, sambista e pagodeiro por vocação, que faleceu recentemente. Aldo solicitou uma mesinha e um copo de cerveja. Daí em diante, não ficou a dever para os autores da música, nem para Diogo Nogueira, que tem a excelência nessa interpretação.

Neila Arcanjo trouxe o melhor de Rita Lee, ‘Bem me Quer’ e mandou bem: “Bem me queiram, ou mal me queiram, o importante é que me queiram!”. Todos quiseram, e como quiseram. Tem gente querendo até agora… Seu choro no anúncio do grande campeão fala por si. “O Aldo mereceu. Ele energizou esse palco. Foi uma apresentação digna do grande artista que ele é”. Ele só, não! Sua mãe e seu irmão subiram no palco na comemoração e também arrebentaram.

A doce Michelle Ribeiro, campeã da primeira rodada, dessa vez terminou em terceiro. Única interpretação internacional da noite, a diva de voz marcante deu mais um show interpretando ‘All of Me’, praticamente a capela. Mesmo com algumas falhas técnicas, ela provou mais uma vez que é grande candidata ao título máximo do Papo Fest.

A diva de Miracema, Simone Marques, trouxe um clássico de Marina Lima (A Francesa) e terminou num honroso quarto lugar.

Anne Alves cantou Sandy e demonstrou, mais uma vez, que na hora em que ensaiar com a super Black Doze (até agora ela não compareceu aos ensaios) é forte candidata ao prêmio máximo.

A dupla sertaneja Maurício e Eliezer continua a fazer aparições corretíssimas. Donos de química e sincronia invejáveis, continuam encantando a porção Michel Teló desse apresentador.

Ediny Ferreira é a alegria do Papo Fest. Ontem, com ‘A Volta da Gafieira’, de Alcione, ela voltou a transformar o Papo Furado em Toca do Midão. Teve até um semi strip tease. Exagero da minha parte. Mas que me mexeu com o Junior Muniz (nosso brilhante jurado), mexeu.

Anderson Azevedo cantou ‘Codinome Beija-Flor’, e cresceu muito em relação à primeira apresentação. Nossos jurados continuam querendo vê-lo cantar sertanejo universitário.

Cortou o coração. O eliminado da noite foi um dos personagens mais importantes da música macaense. Uguaraci Santos trouxe o Nordeste para o palco do Papo Fest e incorporou um cover do Flávio José, interpretando ‘Meu Cenário’.

Pensando bem, e no próximo round, aonde 2 candidatos serão eliminados?

Isso reflete o sucesso do Papo Fest, o grande evento de Macaé nesse ano. Ontem, ninguém mereceu ser eliminado, mas é apenas uma competição. Hoje, o karaokê USantos já estará rufando na Praça Veríssimo de Melo. A Viviana já estará se apresentado com todo seu glamour. O Alex seguirá cantando com Bira Bello e Kemilly Cardoso. O Douglas continuará sendo o rei do Papo Furado. E a música macaense seguirá ganhando respeito a cada jornada.

O Papo Fest (The Voice Macaense) é tão especial que nem a matemática resiste. Provamos, com muita emoção, que nem as exatas são tão exatas assim. Afinal de contas, quem pode afirmar que 10 x 4 é igual a 40? No nosso palco, essa conta fecha em 39. Aproximadamente.

Vou explicar melhor o inexplicável. O regulamento da competição reza que são 40 concorrentes divididos em grupos de 10. Cada quarta-feira do mês se apresenta um grupo. Só que o início do evento foi retardado em uma semana em função da realização de uma Avant Premiere. Ganhamos uma noite maravilhosa, mas perdemos uma data. Com isso, a direção resolveu considerar a inscrição de apenas 39 candidatos. Como se um tivesse sido defenestrado na Avant Premiere. Entenderam? Será que vou ter que desenhar?

Só sei que ontem, apesar de ser a primeira aparição desses candidatos, concorreram somente 9 vozes. Simples assim…

A grande campeã da 4a. noite do Papo Fest foi a professora Cida Garcia. Ela é uma força da natureza. Hoje, estará viajando para São Paulo, ao lado do também Papo Festeiro (existe isso?), Henry, para competir nas finais do Brasileiro de Karaokê. Gente, alguém tem que investir nisso. Ontem, ela encantou com ‘Como Nossos Pais’, de Elis Regina. Levantou o Papo Furado. E todos os papos sérios do shopping. Como disse Bira Bello, que está cada dia melhor, ela tem lugar em qualquer palco da televisão brasileira.

O vice-campeão da noite, o paraense Luciano Edy transfomou o Papo Furado num salão de festas. Haja Aviões do Forró. Foi o momento Toca do Babau da casa. Será que o nome certo é Toca do Midão?

O terceiro colocado também é craque. Viner Stutz. ‘Gostoso Demais’, do Dominguinhos. Indagado, no pré-jogo, sobre a escolha da música, ele não titubeou: “Porque o título me identifica”. Modéstia a parte. Só sei que ouví-lo cantar é gostoso demais. E eu entendo muito disso. Modéstia a parte.

Por falar em modéstia a parte, está sobrando emoção nas nossas apresentações. Assisto aos ensaios e realizo os pré-jogos. A identificação com esses guerreiros iluminados e suas histórias maravilhosas é inevitável. Os bobinhos ficam procurando pêlo em ovo. Pensam que torço mais para uns do que para outros. E estão certos. Claro que torço. Só que ninguém nunca saberá para quem. Sou como espelho. Transmito a emoção que recebo. O público precisa disso. Ninguém sai de casa para, apenas, ouvir boa música. Para isso existe o Spotify.

Um dos pontos altos do Papo Fest é a qualidade do júri. Todos são profundos conhecedores de música. Jamais se deixarão influenciar por qualquer fator externo.

Quem vai ao shopping quer se emocionar. Quer enredo. Quer ouvir bobagens. Quer rir. Quer Bira Bello. Quer Andréia ‘Furacão’ Martins. Quer Devassa gelada. Quer ver a casa lotada, colorida e interativa.

Gente que não pode brincar de esconde-esconde fica feia no meio dessa brincadeira toda. E acaba estragando muita coisa.

Em tempo, a quarta eliminada no Papo Fest (agora são 35 concorrentes) foi Bia Silva que, apesar do enorme talento, não teve uma noite feliz nessa jornada.

 

“Até os bicos dos meus peitos ficaram arrepiados!”, exclamou o furacão Andréia Martins, jurada do I Papo Fest (o The Voice Macaense), ao iniciar seu comentário no final da apresentação da candidata Lilian Vieira, que interpretou ‘Quem é Você’, da fabulosa Sandra de Sã.

“Pena eu ser o apresentador, senão eu diria qual parte do meu corpo está arrepiada!”, emendou Guilherme Kroll, editor-chefe do Portal Cultura em Macaé, e apresentador oficial do The Voice Macaense.

Quem é você, Lilian? Que voz é essa? que presença de palco! E o que foi a sinergia com a banda Black Doze, que está cada dia melhor?

Vou confessar uma coisa, aos leitores, que não é normal. Estou escrevendo essa crônica ouvindo a apresentação gravada em dvd pela Kroll Consultoria e… estou arrepiado! E olha que são 7 horas da manhã… dois dias depois!

Com um dvd desses quem precisa de viagra?

A noite foi repleta de grandes talentos. Um verdadeiro show de furacões e muito romantismo. Os excelentes candidatos das noites anteriores estão revendo suas estratégias. Quem não ousar, será eliminado. Quem se esconder atrás da banda (e que banda, senhores!), ficará escondido por muito tempo. O nível cresce a cada música. Em cada apresentação, surge um novo campeão.

Penso que as tarde/noites das segundas-feiras são imperdíveis no Papo Furado, na entrada do Shopping Plaza Macaé. Segunda passada, cheguei no momento em que a Lilian passava sua música. Tive a sensação que o trânsito em frente ao shopping parou, que as aulas da Cidade Universitária foram interrompidas momentânemante, e que alguns corpos do IML ressuscitaram por alguns minutos.

A eliminada da noite de quarta, Viviana Cardoso, me encantou na segunda, com ‘É Isso Aí’, da Ana Carolina. A qualifiquei como uma das grandes favoritas do concurso, mas reconheço que ela foi irreconhecível na quarta. Já o Adilson Libarino, que trouxe a eterna ‘Volta para Mim’, do eterno ‘Roupa Nova’, estava extremamente acelerado na segunda, mas conseguiu injetar paz no coração, soltar o furacão que tem na garganta e nos pulmões, e dar um verdadeiro show na quarta. O que falar de quem nos trás o ‘Canto de Ossanha’?, que segundo Mestre Hiata é uma das músicas mais difíceis de todo festival?

Tudo isso, e muito mais, compuseram o enredo da terceira noite de uma festa que está só começando. A apresentação do roqueiro Ribamar ilustra bem. Praticamente sem ensaiar (não pôde comparecer na segunda-feira), levantou o Papo Furado com sua presença esfuziante, e mostrou que veio para ficar. Que vença quem escolher a música certa para o momento certo.

A segunda noite de disputas do Papo Fest (o The Voice Macaense) foi repleta de talentos e adrenalina. Grandes craques se apresentaram com muito brilho dando um colorido todo especial num evento que chegou para ficar. A participação do júri foi deliciosa e inesquecível. Composto pelos irrequietos Bira Bello, Robson Ávila, Andréia Martins e Sandra Cesário, eles provocaram os participantes, a banda, e todo público presente, com seus comentários inteligentes e bem-humorados.

“O Bira Bello é um show a parte. O Robson Ávila nem se fala. A Andréia é um furacão. A Sandra deu liga com eles. Esse júri deveria ser fixo. Eles entendem muito de música mas, principalmente, de presença de palco”, comentou Guilherme Kroll, editor-chefe do Portal Cultura em Macaé e apresentador oficial do Papo Fest.

A grande vencedora da noite foi Débora Fonseca, que apresentou ‘Quando a Chuva Passar’, de Ivete Sangalo. Henry Wallace, com ‘Valery’ de Amy Winehouse, ficou com o segundo lugar. Aline Braga, com ‘Bem Que Se Quis’ de Marisa Monte, terminou em terceiro.

“A diferença entre eles foi um ‘pentelhésimo’. O Bira Bello chegou a dizer que eles já eram os campeões gerais do nosso The Voice. Calma! Foi só a segunda rodada. Ainda teremos mais 2 rounds na primeira fase. Tenho certeza que teremos uma finalíssima de levantar defunto. Só cantores de altíssimo gabarito. Gente com presença de palco. Com experiência. Artistas, inclusive, que já foram profissionais, mas que não vivem mais da música. Esse é o espírito. Queremos que a história dos nossos candidatos não termine no palco no Papo Furado, assim como na música vencedora de ontem”, continuou Kroll.

O eliminado da noite de ontem foi Douglas Silva, que cantou ‘Pescador de Ilusões’.

“Ele foi o Craque da Galera. Tenho certeza que valeu a pena. Um sampaulino de enorme carisma e valor. Ficou nervoso demais. Seu amor à música foi um exemplo para muita gente. Abrilhantou nosso Papo Fest”, finalizou Kroll.

A jovem Michelle Ribeiro. de apenas 18 anos, cantando ‘Meu Erro’, dos Paralamas do Sucesso, foi a grande vencedora da primeira noite do Papo Fest 2018 (um The Voice macaense). Dez candidatos de ótimo nível se apresentaram no palco do Papo Furado, na entrada do Shopping Plaza Macaé, e apenas um foi eliminado. São 40 concorrentes divididos em grupos de 10, sempre às quartas-feiras, e o evento terá sua grande final no dia 19 de dezembro.

O júri foi composto pelos cantores Robson Farah, Kemmily Cardoso e Sandra Cesário, além do jornalista Guilherme Kroll. O animado Chico Garçom foi o apresentador da noite. A casa ficou lotada durante todo o evento.

A competição é para cantores amadores e foram considerados os seguintes quesitos: ritmo, afinação, dicção e presença de palco. O resultado final foi seguinte:

10.- Michelle Ribeiro

20. – Maurício e Eliezer

30.- Aldo Lopes

40.- Neila Arcanjo

50.- Simone Marques

6o.- Ediny Ferreira

7o.- Anne Alves

8o.- Anderson Azevedo

9o.- Uguaraci dos Santos

10.- Alexsander Duarte (eliminado)

“Na teoria, foi a primeira apresentação de cantores amadores, com alto nível de nervosismo. O padrão foi altíssimo. A maioria escolheu músicas de difícil interpretação. O talento se espalhou no ar. O público adorou. Poucos foram traídos pelos nervos, ainda assim, só no início das suas apresentações. A casa estava lotada e colorida. Sucesso total”, comentou Guilherme Kroll, editor-chefe do Portal Cultura em Macaé e jurado do evento.

“Alguns candidatos apresentaram um diferencial. A Michelle viveu uma situação inusitada. Quando ela iniciou sua apresentação, o Flamengo marcou um gol (o jogo contra o Grêmio estava passando na tv da parte interna da casa). O barulho poderia ter atrapalhado sua performance. Só que o efeito foi contrário. Sua voz doce e marcante acalmou os eufóricos. Sensacional”, concluiu Kroll.

 

A noite dessa quarta-feira (8 de agosto) foi iluminada no excelente Papo Furado, na entrada do Shopping Plaza Macaé. Aconteceu a Avant Premiere do I Papo Fest (um The Voice Macaense) e a casa ficou lotada de gente feliz e interativa. O craque Hiata, com sua banda, acompanhou apresentações pontuais da maioria dos candidatos, e o talento explodiu por todas as mesas.

“Vai ser uma competição de altíssimo nível”, exclamou Cláudio Midão, dinâmico gestor do Papo Furado e idealizador do Papo Fest.

“Vou enfrentar profissionais excelentes. Quero ultrapassar a primeira fase com dignidade”, declararam diversos concorrentes, ignorando que nenhum candidato é profissional da música.

“Todos aqui possuem outra atividade bem definida. Alguns já foram profissionais, mas não atuam há muito tempo. Nosso evento é, exatamente, para incentivar essa galera que se apresenta em videokês e em churrascos para amigos. Tem muita gente talentosa demais”, prosseguiu Midão.

O Chico, garçon mais carismático do Brasil, será o mestre-de-cerimônias do evento. “Ele também canta, mas foi impedido de concorrer por ser funcionário da casa. Então, será nosso Tiago Leifert. Ele é a cara do Papo Furado”.

Os grupos foram sorteados e a competição terá início na próxima quarta-feira. “As apresentações terão início sempre às 20 horas. Serão 10 concorrentes por dia. Um será eliminado em cada sessão. As notas serão acumulativas. Teremos a presença do grande Zezé Abreu no juri da primeira rodada. A 101 FM está nos ajudando demais”, concluiu Claudinho Midão.

Eu Sou Você, Amanhã

Um anúncio que marcou a criativa publicidade brasileira dos anos 80 mostrava um sujeito bem vestido e penteado que olha para o espelho antes de sair de casa, à noite, e se vê com cara de ressaca, olheiras enormes, um trapo. Pergunta à imagem quem é, e ela responde: “Eu sou você, amanhã”. A propaganda era de uma marca de vodka, a Orloff, que pretendia convencer as pessoas que, se a tomassem hoje, evitavam aquela triste figura… amanhã.

Hoje acontece a Avant Premiere do I Papo Fest (um The Voice Macaense), no excelente Papo Furado, na entrada do Shopping Plaza Macaé. Nesse caso do “Eu sou você, amanhã” só estará de ressaca quem não estiver participando. Os talentosos cantores concorrerão a grandes prêmios (o grande campeão levará R$ 5 mil) e terão uma enorme exposição na mídia especializada.

Ontem, véspera do primeiro dia do evento, o Mago Robson Farah se apresentou no mesmo palco dos nossos competidores. Tudo a ver. Quem sabe se, a partir de hoje, novos magos estarão sendo revelados?

O que posso garantir é que magia não faltará.

Matérias Complementares

A música em Macaé anda em estado de ebulição. A primeira rodada do Papo Fest (um The Voice Macaense para cantores amadores) está dando o que falar nos animados karaokês da região. Ontem, na Garagem do Bill, na Praia Campista, muitos talentos eclodiram nos microfones da USantos (empresa de karaokês do craque Uguaraci, também candidato no festival do Papo Furado.

Ediny (que renasce Clara Nunes em ‘Feira de Mangaio’, Neila Arcanjo (que encantou com ‘Olhos Coloridos’, de Sandra de Sá), Douglas (sãopaulino, um dos favoritos para a próxima quarta-feira do Papo Fest), Uguaraci (que apresenta um forró perfeito com ‘Samara’), e o próprio

Claudinho (gestor do excelente Papo Furado, na entrada principal do Shopping Plaza Macaé), se reuniram aos mais diversos talentos que cantaram e encantaram na Garagem do Bill.

O feijão tropeiro, a banana assada, a gelata, entre outras iguarias, também proporcionaram um ambiente de muita descontração e alegria.

“Aqui só vem gente boa”, falou Bill, muito feliz com o colorido do domingo no seu estabelecimento. “Aqui se pode trazer crianças. Estamos elaborando um espaço kids, com jogos, pula-pula e tv.

O Uguaraci é como um filho para mim. Ele é altamente profissional. Não tem uma pessoa que não goste do karaokê dele.

Todo domingo é assim. Muito feijão tropeiro, arroz, churrasco, vinagrete…

Sábados, a partir das 19 horas, temos música ao vivo com Régis Marrone”, finalizou Bill.

Outro craque presente na grande festa foi o cantor Adilson Gualberto, precursor do karaokê em Macaé. “Iniciamos o karaokê num bar da Ajuda. Temos um grupo de cantores que me acompanha aonde vou. Aqui mesmo, tem muita gente que não mora na Praia Campista. É gente que ama música”.

Zezé Di Camargo em Macaé

Confesso que estou impressionado. Sexta-feira, no Divino Fogão Macaé, entrevistei Márcio Kieling, que interpretou Zezé Di Camargo no filme ‘2 Filhos de Francisco’, em função da sua incrível semelhança física com o cantor. Ontem, na Garagem do Bill, presenciei o cantor Milmar apresentar um timbre de voz que me fez lembrar demais o famoso sertanejo. Ele vai longe nesse ritmo.

No futebol, os times profissionais se concentram na véspera dos grandes jogos. Na música, não é diferente. Ontem, fomos visitar um daqueles lugares da série “A Maravilhosa Macaé que o Macaense Desconhece”.

A Feirinha do Visconde, em frente a Paróquia de Santo Antônio tem guloseimas inesquecíveis. Principalmente para minha filha Hemine, que teve sua iniciação ao acarajé quente. Ele pediu socorro: “Pai, faz alguma coisa!”. Fiz. Fotografei. Quem não passou por isso? No meu caso, foi na idade dela, em Salvador (BA).

Só sei que tem bobó de camarão, tem strogonoff, comidas variadas, doces, cerveja gelada, massagem corporal, e tem o delicioso karaokê USantos, do craque Uguaraci, concorrente do Papo Fest, já classificado para o segundo round do The Voice Macaense.

Ontem, entre tantos talentos, um se destacava. A cantora Rose Paixão, candidata do concurso musical do Papo Furado (excelente restaurante na entrada do Shopping Plaza Macaé), que irá se apresentar nessa quarta-feira (22 de agosto, a partir das 20 horas), dava seus últimos toques pessoais para embelezar sua apresentação. É forte candidata a se juntar ao Uguaraci no segundo turno da competição.

A banda Black Doze se apresentou, na noite de ontem, no Empório 46, na orla da Praia dos Cavaleiros. Ela é uma das atrações mágicas do Papo Fest (o The Voice Macaense, que acontece na chopperia Papo Furado, na entrada do Shopping Plaza Macaé), que se tornou o grande evento macaense nesse segundo semestre.

Empório é um lugar que se caracteriza pelo seu grande fluxo comercial, apresentando uma intensa variedade de produtos. Os empórios são conhecidos pela sua diversidade, podendo vender produtos de luxo ou populares. Alguns etimologistas acreditam que a verdadeira raiz desta palavra venham do termo emporos, que inicialmente significava “viajante” ou “passageiro”, devido a situação de andarilho da maioria dos comerciantes de antigamente.

“Eles tocarem no Empório 46 trás toda uma simbologia. O som deles é eclético. Eles primam pela diversidade. Viajam em qualquer ritmo. Foi imperdível. Mesmo com Macaé vazia, como consequência do feriado prolongado, eles encantaram. Venho assistindo os ensaios do Papo Fest. Eles tratam cada candidato com carinho e competência impressionantes. No The Voice Brasil, Lulu Santos, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown e Michel Teló cumprem o papel de técnicos dos concorrentes. Em Macaé, a Black Doze é o somatório deles todos. Eles entendem e se adaptam em qualquer ritmo”, declarou Guilherme Kroll, editor-chefe do Portal Cultura em Macaé, que esteve no Empório 46 ao lado da sua filha, a fotógrafa Milena Kroll.

“A Budweiser e o quibe com gorgonzola (com molho de pimenta biquinho ao mel) ajudaram muito. A presença de candidatos do Papo Fest também abrilhantou a festa. Eles reconhecem o carisma do Hiata (líder da banda). O Marinho também é ídolo. A noite só não foi completa porque não teve balada romântica do Daniel. No Papo Fest passado, ele surpreendeu a todos. Meu baterista favorito pegou o microfone e arrebentou cantando uma música bem melosa. Ele é muito ídolo. Virei presidente do fã-clube”, finalizou Kroll.

Gabriel Silva foi um dos grandes destaques da terceira temporada do The Voice Brasil. Amanhã (quarta-feira, 05 de setembro), no palco do Papo Fest, o The Voice Macaense, chegou a vez da sua filha, Bia Silva, 18 anos, iniciar sua trajetória em concursos eliminatórios.

Bia apresentará, no primeiro round, ‘Tempo Perdido’, da Legião Urbana. “Essa música lembra muito minha avó, mãe da minha mãe, que faleceu. Ela tinha olhos castanhos. Para ela, o tempo nunca era perdido”.

“Será muito maneiro seguir o caminho do meu pai. Poder demonstrar que a família tem talento. Amo cantar. Tenho um imenso orgulho da carreira do meu pai. Me inspiro nele. Rio das Ostras inteira o aplaude.

Na época do The Voice, foi uma adrenalina muito louca. Ele só perdeu na fase das batalhas. Foi sensacional vê-lo no time do Lulu Santos. Ele é maravilhoso”, finalizou Bia, que promete ser uma das atrações dessa quarta-feira.

O júri do Papo Fest da semana passada roubou a cena. Tive a oportunidade de apresentar candidatos capazes de brilhar em palcos das principais capitais brasileiras, mas algo diferente aconteceu no local reservado ao corpo de jurados. A química foi total. A musa Sandra Cesário, o furacão Andréia Martins, o encantador Robson Ávila e o ‘sei lá’ Bira Bello. Ele ultrapassou todos os limites. Os bons limites. Brincou com todos os candidatos, com a banda, com o público, com o apresentador, com todos os jurados… ninguém ficou impune. Seu carisma é mais alto que cú de girafa… Píiiiii…..

Só sei que presenciei uma história de Cinderela em Macaé.

O talentoso Alexander Duarte, candidato eliminado na primeira rodada no The Voice macaense foi ao Papo Furado somente para conseguir uma selfie com seu ídolo máximo, Bira Bello. Ao saber que o Alex havia sido eliminado porque iria cantar em dupla, mas sua parceira desistiu em cima da hora, Bira o convidou para uma canja no dia seguinte no famoso Pub Style. Um sonho!

Fomos ao Pub para ver se aquilo realmente estava acontecendo…

E não é que o carismático, e sem papas na língua, Bira Bello, no auge do show, chamou ao palco nosso bravo Alex?

E mais… ficou na segunda voz.

E mais… deu certo. O público adorou.

E mais… o Bira Bello falou, no microfone, que a pessoa que abandona a outra na última hora é muito ‘filha da puta’. Detalhe: a pessoa estava do meu lado…

Fiz força para não olhar, mas essa história vai para o lendário da minha vida jornalística, apesar de ter a obrigação de esclarecer que, no sorteio dos grupos, todos já sabiam que a dupla não iria rolar. O Alex ensaiou solo.

Enfim. O Bira é Bello. Como ele mesmo gosta de dizer, um homão da porra, senhores!

As lentes da Kroll Cconsultoria Mídia Digital vêm captando imagens dos rostos mais expressivos da nossa região. Nosso portfólio não para de se enriquecer. Ontem, no Tayra Eco Parque, no Mar do Norte, em Rio das Ostras, realizamos um ensaio fotográfico com a diva Michelle Ribeiro, grande vencedora da primeira etapa do Papo Fest (uma espécie de The Voice Macaense), realizado no excelente Papo Furado, na entrada do Shopping Plaza Macaé.

Em breve, estaremos realizando um ensaio com a bela Luiane Preta, que conquistou recentemente o concurso Pérola Negra, promovido por Jean Macaé na Feira do Visconde.

Luz Que Ilumina

Luz Que Ilumina

A Escola Sentrinho, de Macaé, teve a sabedoria de convidar Moacyr Luz para marcar seu aniversário de lutas e sucessos. Há muito tempo que um espetáculo musical não mexia tanto comigo. E olha que vivo esse ambiente diariamente, cobrindo shows de enorme magnitude.

A Escola Sentrinho soma 29 anos de bons serviços prestados à comunidade macaense, no sentido de proporcionar às crianças com dificuldades neurológicas a oportunidade de superação dos seus limites. Assim, merecidamente a instituição comemorou a data com um super show do cantor e compositor Moacyr Luz, realizando mais uma edição do Gourmet Sentrinho-Unimed.

Moacyr Luz, o Moa do Samba do Trabalhador, um dos maiores compositores do país, se apresentou com toda dignidade e magia que um grande artista pode apresentar.

Moacyr Luz
Nascido em 5 de abril de 1958, o carioca Moacyr Luz é um dos maiores músicos e compositores brasileiros do pais. Possui nove CDs gravados trazendo em cada trabalho importantes referências à Música Brasileira. Do primeiro, relançado em CD “Moacyr Luz 1988” as participações de Raphael Rabello, Sivuca e Hélio Delmiro, dão um caráter acústico e lírico às canções primeiras da dupla Moacyr Luz e Aldir Blanc. Em “Vitória da Ilusão” uma fusão de ritmo traduz dez anos da parceria, reunindo Medalha de São Jorge, Mico Preto, Saudades da Guanabara e Flores em Vida pra Nelson Sargento.

O CD “Mandingueiro” tem como referência maior o samba. Elogiado pela crítica, o disco resgata a formação clássica das rodas de samba predominando as dobradinhas: cavaquinho e violão, bandolim e sete cordas, pandeiro, surdo, cuíca e tamborim. No repertório sambas como Anjo da Velha Guarda, Pra Que Pedir Perdão e Cachaça, Árvore e Bandeira. “Na Galeria” seu quarto CD, onde mostra o intérprete como carreira, recebendo críticas relevantes. Um repertório de compositores clássicos e arranjos intimistas, mas sofisticados. Foi considerado um dos melhores lançamentos do gênero do ano.

Roda de Samba

O cantor foi acompanhado por uma excelente roda-de-samba, composta pelos seguintes músicos: Lúcio Rodrigues – Violão 7 cordas; Werlles de Paula – Flauta; Daniel Abreu Assis – Cavaco; Diorninho – Surdo; Sergio Malakay – Cuíca – Percussão Geral; Diego Barros – pandeiro; Pêconversaê – Repique – Percussão Geral; Jorge Benzê – Coro; Lita Lopes – Coro; Sonorização – Klebão.

Samba do Trabalhador, no Renascença (Rio de Janeiro)

Para quem ouve falar do Samba do Trabalhador pela primeira vez, pode até parecer estranho que uma das rodas de samba mais tradicionais do Rio aconteça na segunda-feira à tarde. Mas é isso mesmo! Toda segunda, a partir das 16h, o Clube Renascença recebe a roda comandada pelo bamba Moacyr Luz. O Samba do Trabalhador é mais do que um reduto de boa música, é uma bela demonstração da cultura carioca!

Moacyr Luz tem uma vasta carreira como cantor e compositor – são 12 discos gravados, incluindo músicas com participação de diversos artistas, como Alcione, Beth Carvalho, Mart’nália, Luiz Melodia, Zeca Pagodinho. Assim como mais de 100 músicas de sua autoria e coautoria já ganharam o Brasil através das vozes de Martinho da Vila, Maria Bethânia, Nana Caymmi, Zeca Pagodinho e Gilberto Gil, entre outros.

Em 2005, Moa (como é conhecido pelos amigos e fãs) teve a ideia de criar uma roda de samba na segunda-feira à tarde. O horário, inadequado para grande parte da população, seria ótimo para reunir os músicos, que costumam ter suas agendas lotadas nos finais-de-semana. Não foi algo muito planejado… Numa comemoração no Renascença Clube, Moa falou com o então presidente do clube Jorge Ferraz, que aceitou de pronto a sugestão. Poucos dias e muitas ligações depois, a primeira edição do Samba do Trabalhador aconteceu. Era uma reunião de músicos e convidados (em torno de 40 pessoas no total), que iniciou com um almoço preparado pelo próprio presidente do clube e terminou pelas 20h.

 

 

Moacyr Luz, o Moa, no Sentrinho Gourmet (Macaé) – 29 anos da Escola Sentrinho

Noite de bambas, com meu ídolo Cesar Oliveira, curtindo samba da melhor qualidade. A kafta com arroz de lentilha é muito mais que um simples detalhe. Aguardando que o marido da Marluci Martins, o grande Moa, esbanjando carisma, suba ao palco.
Convidar Moacyr Luz para seu aniversário foi um gol de placa do Sentrinho.

 

 

Tenho o sentimento que o conheço desde sempre. Afinal de contas, é marido da Marluci Martins, que é uma das minhas principais referências no jornalismo. Acompanho sua trajetória através do face dela.
Moacyr Luz, o Moa, hoje, no aniversário do Sentrinho, em Macaé, a magia está solta através de uma roda de bambas no ar.
Marluci, essa noite será em sua homenagem…

Papo Fest – Promoção

no Utopias, debatendo “Eu Sei Que Vou Te Amar”

Eu Sei Que Vou Te Amar (no Utopia Cult – Cinema Comentado – Ciclo: Todas as Formas de Amar)

“Eu sei que vou te amar” é um filme brasileiro de 1986, do gênero drama, dirigido por Arnaldo Jabor.

A direção de fotografia é de Lauro Escorel Filho, os figurinos de Glória Kalil e o cenário é uma casa projetada por Oscar Niemeyer em 1948.

Sinopse

Um jovem casal resolve viver em duas horas um jogo da verdade sobre tudo o que já lhes aconteceu, numa psicanálise filmada.

Fernanda Torres ganha o prêmio de melhor Interpretação feminina, no Festival de Cinema de Cannes, pelo filme Eu Sei que Vou Te Amar , de Arnaldo Jabor.

com Gabriel Silva, finalista da Terceira Temporada do The Voice Brasil, no Papo Furado (Shopping Plaza Macaé), elaborando o I Papo Fest

Resenha Mallandra

Resenha Mallandra

Tivemos o prazer de conhecer, ontem, a casa ‘Resenha Carioca’, no Cavaleiros. E a oportunidade não poderia ter sido melhor. Stand Up Comedy com Serginho Mallandro. Casa lotada de muita gente bonita, gargalhadas que se sobrepunham, e um artista que brinca com seu próprio jeito de ser. Uma noite inesquecível.    

“Sei que sou muito louco, mas não tanto quanto o Garotinho na ambulância”, falou Serginho Mallandro, que não aliviou nem os amigos. José Mayer, Tim Maia, Jorge Benjor, Silvio Santos e Alexandre Frota foram alvos preferenciais. “O Wágner Montes sempre foi o único amigo em quem confiei. Ele nunca me passaria a perna… quem não entendeu, é só ir no Google”.

“Uma vez, no SBT, me convidaram para gravar um especial de Natal. Ficamos 10 dias trabalhando sem parar. Aí, me ligaram informando que o programa iria ao ar no mesmo horário do Roberto Carlos, na Globo. Fiquei muito bravo. Liguei para a direção da emissora e falei que ninguém iria assistir. Nem eu. Nem minha mãe. Liguei até para o Roberto Carlos reclamando que ele tinha invadido meu horário.   

Não gosto de Rodrigo Hilbert. Ele ferra todos os homens. Como pode um cara lindo daqueles ainda ser cozinheiro? Quando encontro com ele vou logo perguntando se ele melhorou da herpes. Fica todo mundo olhando. Algum defeito ele tem que ter.

Gosto de todas as mulheres, mas gosto mesmo é das bêbadas”, continuou Mallandro, arrancando gargalhadas de todos os presentes. Não satisfeito, ainda desceu do palco e foi de mesa em mesa. Ao saber que um casal tinha 1 mês de namoro, mandou: “O legal de ter 1 mês de namoro é que são 4 pessoas em 2 corpos se relacionando. Todos demonstram ser pessoas que não são”.

Guilherme Kroll e Serginho Mallandro

Wágner Veloso e Serginho Mallandro

Caçador Choperia (Tijuca)