• +(21) 99639-3362
  • contato@guilhermekroll.com

Releases 2018

A Farra dos Pastéis no Bloco Dimais

Fluminense 1 x 0 Macaé Esporte – Um Gol de R$ 7,5 Milhões num Sábado de Carnaval

Fluminense 1 x 0 Macaé Esporte – Um Gol de R$ 7,5 Milhões num Sábado de Carnaval

Essa crônica será escrita dedicada integralmente para o meu presidente Mirinho.

Confesso que demorei uma semana para escrever sobre nossa derrota para o Fluminense (1 x 0, sábado passado, em Los Larios). Ontem, sexta-feira de Carnaval, fui dormir assistindo ao gol tricolor, que estava sendo reprisado pelo Sportv, canal 39 da Sky. Por ironia do destino, acordei cedo, liguei a tv, e o mesmo jogo estava passando. Vi o gol novamente.

A verdade é que o segundo tempo foi extremamente equilibrado. Uma jogada brilhante do meia Robinho, que custou R$ 7,5 milhões aos cofres do Fluminense, que lançou o jovem Pedro nas costas da zaga macaense, causou o único desequilíbrio do nosso setor defensivo na partida. Isso não deveria acontecer, mas aconteceu.

Meu presidente Mirinho ficou triste com as derrotas seguidas para Botafogo, Portuguesa e Fluminense… mas não deveria.

Realizamos atuações equilibradas contra os gigantes do futebol brasileiro, mesmo tendo orçamento muito, mas muito, inferior ao dessas agremiações. Contra a Portuguesa, perdemos por falhas individuais do nosso goleiro. Não faltou atitude ao nosso plantel, nem na nossa comissão técnica, muito menos na nossa diretoria. Se tivéssemos empatado esses 3 jogos, teríamos alcançado a semifinal da Taça Guanabara. Isso não é pouco para quem jogou uma Seletiva sendo considerado a ‘zebra’ da competição.

Nosso plantel é reduzido e a pré-temporada foi curta. A sequência de jogos foi dura.

Com a chegada dos reforços tudo melhora. A parada do Carnaval foi ótima. Precisamos recuperar o alto astral. Temos um dos melhores treinadores de futebol do Brasil. Disso eu entendo. Ele é um gestor de atletas como poucos.

Vamos voltar a vencer. Sei que reforços ainda chegarão. Nosso objetivo maior é o G-8 do Cariocão. Mas quem sabe se não chegamos na semifinal da Taça Rio? Estamos no bolo. Ninguém é de ninguém. Nosso time é excelente. Confio demais. Caráter não falta. Trabalho também não.

O segredo de uma competição equilibrada é saber perder. Transformar derrotas sofridas em grandes vitórias. Isso irá acontecer. Nossos dirigentes são experientes e inteligentes. O tempo irá conspirar a nosso favor.

Ave, César!

Na época do imperador Júlio César, os romanos saudavam: “Ave, César! os que vão morrer te saúdam”.

Só sei que o Macaé Esporte está muito orgulhoso da chegada de 2 grandes reforços para a disputa da Taça Rio: o volante Júlio César, e o meia-atacante Edinho.

“O Presidente Mirinho entende muito de futebol. Ele possui profundo conhecimento sobre praticamente todos os jogadores em atividade no Brasil”, declarou Guilherme Kroll, gerente de futebol do Macaé Esporte. “Ele surpreendeu muita gente ao montar um plantel barato, mas com muita qualidade, para a disputa da Seletiva do Campeonato Carioca. O trabalho do Josué Teixeira foi sensacional, e conquistamos o acesso para a Fase Principal da competição.

Sabíamos que nosso grupo era reduzido e que havia necessidade de contratações pontuais.

A verdade é que não iríamos contratar por contratar. Durante a Taça Guanabara não surgiu nenhum nome capaz de gerar uma grande contratação. Realizamos uma boa campanha. Derrotamos o Boavista (em Bacaxá), e empatamos com o Madureira (em Conselheiro Galvão). Perdemos para os gigantes Botafogo e Fluminense nos detalhes finais dos jogos. Contra a Portuguesa, nosso goleiro comprometeu. Se tivéssemos empatado esses 3 jogos, teríamos alcançado uma vaga na semifinal.

Agora, chegou a hora de colocar o tempero certo que o Josué merece.

O Júlio César tem mais de 100 jogos como titular do Boavista. Ele é um volante moderno e diferenciado. Vai trazer outra qualidade para o setor. Espero que ele venha ser o nosso “imperador”.

O Edinho é um meia que acompanhamos com muito carinho. É um ídolo na Desportiva. Tenho um amigo capixaba, conhecedor de futebol, que me ligou dizendo que contratamos um grande craque. É só dar a 10 para ele e relaxar. Só sei que os treinamentos já melhoraram com a sua presença.

Os dois vão somar muito ao nosso meio-de-campo. E tem mais. O Mirinho não vai parar por aí. Ainda está estudando nomes para, pelo menos, duas posições. Essas 3 semanas de treinamento vieram no momento certo. Devemos estrear contra o Bangu, no Moacyrzão (24 de fevereiro). Queremos brigar por vaga na final da Taça Rio”, finalizou Kroll.

Ave, César!

Na época do imperador Júlio César, os romanos saudavam: “Ave, César! os que vão morrer te saúdam”.

Só sei que o Macaé Esporte está muito orgulhoso da chegada de 2 grandes reforços para a disputa da Taça Rio: o volante Júlio César, e o meia-atacante Edinho.

“O Presidente Mirinho entende muito de futebol. Ele possui profundo conhecimento sobre praticamente todos os jogadores em atividade no Brasil”, declarou Guilherme Kroll, gerente de futebol do Macaé Esporte. “Ele surpreendeu muita gente ao montar um plantel barato, mas com muita qualidade, para a disputa da Seletiva do Campeonato Carioca. O trabalho do Josué Teixeira foi sensacional, e conquistamos o acesso para a Fase Principal da competição.

Sabíamos que nosso grupo era reduzido e que havia necessidade de contratações pontuais.

A verdade é que não iríamos contratar por contratar. Durante a Taça Guanabara não surgiu nenhum nome capaz de gerar uma grande contratação. Realizamos uma boa campanha. Derrotamos o Boavista (em Bacaxá), e empatamos com o Madureira (em Conselheiro Galvão). Perdemos para os gigantes Botafogo e Fluminense nos detalhes finais dos jogos. Contra a Portuguesa, nosso goleiro comprometeu. Se tivéssemos empatado esses 3 jogos, teríamos alcançado uma vaga na semifinal.

Agora, chegou a hora de colocar o tempero certo que o Josué merece.

O Júlio César tem mais de 100 jogos como titular do Boavista. Ele é um volante moderno e diferenciado. Vai trazer outra qualidade para o setor. Espero que ele venha ser o nosso “imperador”.

O Edinho é um meia que acompanhamos com muito carinho. É um ídolo na Desportiva. Tenho um amigo capixaba, conhecedor de futebol, que me ligou dizendo que contratamos um grande craque. É só dar a 10 para ele e relaxar. Só sei que os treinamentos já melhoraram com a sua presença.

Os dois vão somar muito ao nosso meio-de-campo. E tem mais. O Mirinho não vai parar por aí. Ainda está estudando nomes para, pelo menos, duas posições. Essas 3 semanas de treinamento vieram no momento certo. Devemos estrear contra o Bangu, no Moacyrzão (24 de fevereiro). Queremos brigar por vaga na final da Taça Rio”, finalizou Kroll.

Futebol em Macaé

Facebook – 25 de janeiro de 2018

O Passo S

“Um time para ser campeão tem que saber sofrer”. Essa frase foi dita pelo super-técnico Josué Teixeira na preparação da equipe do Macaé Esporte para a Primeira Fase do Campeonato Carioca 2018. E no jogo contra o Bonsucesso, quarta-feira passada em Bacaxá, o time macaense demonstrou seu enorme caráter.

Mesmo jogando com um jogador a menos em grande parte do segundo tempo (o volante Anderson foi expulso ao levar seu segundo cartão amarelo), os comandados do professor Josué Teixeira demonstraram aplicação tática, atuaram com segurança, tiveram no goleiro Andrey uma retaguarda fundamental para a vitória, obtiveram a segunda conquista em igual número de jogos disputados, e assumiram a liderança da fase que vai determinar quais equipes atuarão em busca do título máximo da competição.

O goleiraço Andrey (campeão mundial sub-20, com a Seleção Brasileira) mereceu elogios de todos os presentes no estádio do Boavista.

O lateral-direito Marcelo anotou, de falta, o único gol do confronto.

A zaga, composta por Admilton e Luis Felipe, teve uma atuação segura e memorável. Charles, Lepu, Accioli (que entrou no segundo tempo, e demonstrou uma atitude exemplar), Matheus Oliveira e Alex foram outros grandes destaques na sensacional vitória macaense.

O próximo passo do Macaé Esporte será dado em Cabo Frio, dia 6 de janeiro. A volta do craque Pipico pode ser a grande novidade do lider do campeonato. O goleiro Juninho (ex-Mogi) e o zagueiro Igor João (ex-Remo) devem estar regularizados no Bira da Ferj.

“Ainda tem gente não dando o braço a torcer que 30 dias foi o tempo ideal de preparação para essa fase. Estamos crescendo a cada dia. O Josué (Teixeira, técnico do time) é muito estudioso. O padrão tático do Macaé é diferenciado. O jogador que acreditar, e se aplicar, tem o caminho aberto para grandes atuações”, declarou Guilherme Kroll, gerente de futebol, que é oriundo do basquete (aonde atingiu a Calçada da Fama do Flamengo e dirigiu a Seleção Brasileira de Base por 4 anos). “No basquete, todos conhecem e reverenciam o sistema de triângulos do Phil Jackson. Essa tática levou o Chicago Bulls e o Michael Jordan à grandes conquistas. Estou vendo algo semelhante no futebol do Macaé Esporte. Temos 2 triângulos funcionando. Um em cada lado do campo. Fixo mesmo, temos a zaga, o primeiro volante, e o centroavante. Os demais se movimentam demais. Tenho convicção que vamos brilhar até o final do campeonato”.

com Renan Gouvêa, repórter da InterTv (Rede Globo Macaé)

Programa Tô na Área (Band Rio Interior) – 17/12/2017 – com Leonardo Dantas e Josué Teixeira – no CT do Horto (Macaé Esporte)

com Leonardo Dantas (Band – Programa Tô na Área) e Josué Teixeira (técnico do Macaé Esporte)

 

Releases Temporada 2018

Só quem não conhece a história recente do futebol brasileiro se surpreendeu com a posição do Macaé Esporte no Ranking Nacional da Confederação Brasileira de Futebol divulgado recentemente. Quinto clube melhor colocado do Estado do Rio de Janeiro, 52o. colocado no ranking nacional, a frente de clubes tradicionais, como Remo (PA), Ypiranga (RS), Botafogo (SP), CSA (AL), São Bento (SP), Volta Redonda (RJ), Madureira (RJ), Caxias (RS), Villa Nova (MG), entre muitos outros, o Macaé ainda colhe os frutos da coragem do seu Presidente Mirinho, que disputa todas as competições possíveis, independente do orçamento disponível.

“Esse ranking retrata o que sempre escrevo. Nosso presidente deve ser reverenciado. É lógico que os últimos resultados não foram bons. A cidade de Macaé vive problemas econômicos muito sérios. O futebol não poderia ficar impune. Mirinho, inclusive, socorreu o Estádio Cláudio Moacyr. Ele ficou muito tempo interditado. Hoje, voltamos a jogar em casa. Macaé segue jogando em nível nacional. Vamos surpreender nesse Campeonato Carioca. E brilhar na Série D. Erra quem pensa que o Macaé Esporte não sabe o que está fazendo”, afirmou o gerente de futebol, Guilherme Kroll.

 

‘Enfiar o pé na jaca’ é uma expressão popular que significa ‘cometer excessos, exceder os limites, exagerar na dose’.

Quem assiste aos treinos da pré-temporada do Macaé Esporte, percebeu que o setor de meio-de-campo ganhou outra velocidade com a presença do meia Diogo Armando Maranhão, que havia disputado a série B1 pelo Carapebus. “O Josué (Teixeira, técnico da equipe) já o conhecia bem. Todos os seus treinamentos foram bons. Ele é muito rápido. Estou impressionado. Nosso meio-de-campo está ganhando muitas opções de extrema qualidade”, comentou Guilherme Kroll, gerente de futebol do clube.

“Lancei o jogador no Sampaio Correa (MA). Ele tinha apenas 15 anos e o escalei no profissional. Comigo é assim. Se tem qualidade e confiança, não importa a idade. Naquela ocasião, já se saiu muito bem”, elogiou Josué. “Tempos depois, o indiquei para o Marquinhos (dirigente), para atuar no Roxinho. Sempre monitorei a carreira do Maranhão. Ele é um meia organizador, que possui boa velocidade. Agora chegou a hora de jogar comigo. Junto com ele, vieram o Romário e o Vinícius. Nosso plantel está com muita qualidade. Vamos ter uma grande temporada”.

“Estou vivendo um momento importante na minha carreira. Em pouco tempo, penso que consegui mostrar para o que vim”, afirmou Maranhão. “Vamos conquistar essa primeira fase do Carioca. Queremos jogar contra os times grandes. Nossa parte física está melhorando. O Josué me conhece desde que sou infantil. Sabe que pode confiar em mim. Atuo tanto pelo meio, como pelas pontas. Aqui no Macaé, estou tendo a oportunidade de jogar ao lado de jogadores mais experientes. É bom demais. Gosto de chutar de longe. Nosso contra-ataque também será uma arma letal”

Perguntado sobre a recomposição do time, Maranhão não titubeou. “É o principal. Se não fizermos, o professor pega no nosso pé”.

Parafraseando José Simão, do BandNews, Buemba Neles!

As defesas adversárias que se cuidem. Os analistas atuais preconizam que os volantes modernos devem possuir alto poder de fogo para surpreender os sistemas defensivos compactos. Dois jogadores dessa posição estão demonstrando grande potência nos tiros de longa distância nos treinamentos do Macaé Esporte: Anderson e Charles.

“Nessa posição, quando a defesa abre, e a bola vem de frente, nós finalizamos mesmo. É uma ótima opção ofensiva”, disse Charles, que foi um dos jogadores que mais evoluiu na temporada passada no plantel do Macaé Esporte.

“Gosto de pegar bolas em movimento. As bolas paradas, eu deixo para os outros”, disse Anderson. “As bolas mais próximas, os meias batem. As mais distantes, gosto de arriscar um chute forte”, completou Charles.

Em relação ao sistema defensivo, os volantes afirmam que tudo depende das determinações do professor Josué Teixeira. “Depende do Josué. Gosto muito de sufocar o adversário. Roubar algumas bolas perto do gol deles”, declarou Anderson.

“Gosto muito das bolas altas. No Nova Iguaçu, fiz 4 gols de cabeça e 2 de pênalti. Defensivamente, não tomamos nenhum gol pelo alto”, completou Anderson.

“Reconheço que ainda não fiz nenhum gol de cabeça”, confessou Charles, “mas lá trás me garanto. Ninguém marca gol de cabeça em cima de mim na bola parada. Além disso, costumo ganhar a 1a. bola. Isso ajuda o time na reposição de bola do goleiro adversário”.

Após um forte trabalho na Academia Biofitness, pela parte da manhã, a equipe profissional do Macaé Esporte trabalhou na período da tarde no CT do Horto, sob intensa chuva. A comissão técnica, liderada pelo professor Josué Teixeira, programou um treinamento alemão (alta intensidade em dimensões reduzidas), e o temporal não esmoreceu a vontade dos atletas.

“O trabalho segue encantando. A qualidade é visível. A água castigou. Foi bom porque lavou a alma. A velocidade de alguns jogadores nesse treino me impressionou. Estamos com fartura de jogadores de bom nível técnico. Fisicamente, a evolução é visível. A disposição defensiva também é marcante. Penso que teremos uma equipe que nos dará muito orgulho”, falou o gerente de futebol, Guilherme Kroll.

O Presidente Mirinho apresentou 3 reforços que brilharam, na temporada passada, na Tombense (MG). Um deles é muito conhecido da torcida macaense: Pipico. Os outros atuam pelos lados do campo. Matheus Oliveira, lateral-esquerdo, e Marcelo, lateral-direito, defenderam a equipe de Tombos no Campeonato Brasileiro desse ano.

“Cada desafio tem sua história. Espero fazer uma grande temporada no Macaé Esporte”, falou Matheus Oliveira, demonstrando muita alegria em poder se transferir para o Macaé. “Além do Marcelo e do Pipico (na Tombense), já joguei com o Jonathan (goleiro), no Internacional. Além disso, cheguei hoje, mas estou encantado com o cartão de visitas de Macaé. A cidade é linda”.

O lateral-direito Marcelo, que atuou 5 meses na Tombense, é outro que não disfarça sua alegria em estar se transferindo para Macaé, “É um sonho. Em Tombos, tudo era muito longe. Macaé é uma cidade linda. Será meu primeiro Campeonato Carioca”.

O meia Pipico já é ídolo da torcida macaense. “O Campeonato Carioca nos dá enorme visibilidade. Teve um campeonato que fiz gol nos 4 grandes. Fui contratado pelo Vasco. Além disso, morar em Macaé é bom demais”.

O gerente de futebol, Guilherme Kroll, não esconde seu otimismo. “O plantel encorpou. Além disso, ao contrário do que muita gente está dizendo, o trabalho está sendo feito no tempo certo. Nossa Comissão Técnica é diferenciada.

Haveria necessidade de um tempo maior de que 30 dias de perdessemos tempo com testes e avaliações. Estamos trabalhando com um grupo enxuto e seleto. Nosso Presidente Mirinho é cirúrgico. Ele é muito fera para contratar jogadores. Vamos ter um meio de campo com jogadores do quilate de Pipico, Diego Sales, Alex, Anderson, Lepu, Charles, Yuri, Donovan, entre outros. Com a chegada do Matheus Oliveira e do Marcelo, somando a Lucas e Yan, nas laterais, as opções serão múltiplas. Quem não acreditar, é só vir assistir aos treinos. Ou então fazer igual ao Grêmio e comprar um drone espião. Acreditem em mim.

Nosso preparador físico, o Luciano Sousa, também é fisiologista. Nessa semana ele entrou com o trabalho de força. Todos os treinos estão tendo bola. O time vai chegar voando na estreia do dia 20. Tenho certeza de que não perderemos para ninguém no quesito condicionamento físico.

Sou treinador esportivo desde 1975. Trabalhei com os melhores treinadores de basquete e futebol do Brasil, e não escondo minha admiração pelo Josué Teixeira. Estou aqui para ajudá-lo. Vamos atingir nossos objetivos”, concluiu Kroll.

 

“Um grande técnico de futebol, certa vez me disse o seguinte: todos as posições são fundamentais, mas a beleza do jogo depende dos meias ofensivos”, declarou o Gerente de Futebol do Macaé Esporte, Guilherme Kroll. “O início do trabalho para a temporada está nos mostrando que teremos muita qualidade nesse setor. Diego Sales, Pipico, Yuri, Accioly e Washington estão prometendo muita arte na condução das jogadas ofensivas da equipe.

Diego Sales já brilhou no mercado paulista, em clubes como Ponte Preta, Marília e São Caetano. “Estou num momento muito bom. Feliz. Vamos disputar uma primeira fase aonde não podemos errar. A responsabilidade é muito grande, mas estamos preparados. Penso grande.

Tenho um filho de 6 meses de idade (Arthur) e deixei ele em Arraial do Cabo. Estou focado no Macaé Esporte. Quero vencer.

Vamos trabalhar em conjunto. Conheço bem o Pipico, ele é fabuloso, quero muito formar uma grande dupla ao seu lado.

Já atuei com o Admilton (zagueiro) no Tigres. É um excelente profissional.

Está sendo uma honra trabalhar com o Josué Teixeira. Ele prima pelo caráter e profissionalismo. Seu trabalho é intenso. Vamos chegar bem na estreia do Campeonato Carioca”, concluiu Diego Sales.

“O Admilton tem qualidades raras para um zagueiro. Seu passe é excelente e ele é muito forte no cabeceio. O Macaé Esporte já demonstra que não terá problemas na saída de bola. A bola parada será uma arma letal”, afirmou o Gerente de Futebol do clube, Guilherme Kroll.

“Quero ver o Macaé Esporte novamente nas alturas”, falou Admilton, que jogou 4 Campeonatos Cariocas no Resende, com muito destaque, e assinalou 5 gols de cabeça na Série B do Campeonato Carioca desse ano, atuando pelo Tigres.

“Joguei em 2011 no Macaé. Foi uma boa temporada, mas estou muito mais maduro e experiente. Gosto muito do Mirinho (presidente do clube)”, prosseguiu Admilton. “Não gosto de dar chutão. Só se precisar. Me posiciono bem. Gosto muito de fazer gols de cabeça. No Tigres, consegui marcar 5 gols assim”.

“A média de altura do nosso time é superior a 1,80m. No treino de hoje, atuei ao lado do Talis. Ele é um armário. Tem mais de 1,90m. Já joguei contra ele e sei que é muito viril. Vamos formar uma grande dupla de área. Tanto lá atrás, como na frente. O Josué (Teixeira, técnico) é muito experiente e competente. Vai saber tirar o melhor de nós

O Macaé Esporte tem uma grande aposta para a temporada 2018: Lepu.

No primeiro teste físico, ele colocou uma volta dos seus companheiros, demonstrando uma vitalidade acima do normal. “Isso não surpreende ninguém. No Brasileiro desse ano, o Lepu foi escalado na lateral esquerda e seu rendimento foi muito bom. Quando o Valdir (experiente lateral direito) se contundiu, ele teve atuações magníficas nessa posição. Ele é volante de origem, mas joga bem na meia. O Roy (técnico que dirigiu o Macaé no primeiro turno do Brasileiro passado) escalou ele de atacante em Erechim, e funcionou. O Lepu é fantástico”, declarou o Gerente de Futebol do Macaé Esporte, Guilherme Kroll. “Não é a toa que tem gigante do futebol brasileiro interessado nele. Com o Lepu em campo, um técnico pode alternar um sistema tático sem fazer substituições”.

“Me condicionei nas férias. Sei que a primeira fase do Carioca é curta, e temos que correr. Jogo em qualquer função com a mesma determinação. Penso que isso é uma vantagem que levo”, falou Lepu. “Já joguei até de atacante. Confesso que gostei. Trabalho muito. Quero desenvolver minha qualidade.

Outra característica marcante do Lepu é sua aceitação nos grupos que participa. “Todos os jogadores escalados me pedem para ficar no quarto com o Lepu. Ele deve ter açúcar”, disse Kroll. “Reconheço que sou alegre, divertido, que gosto muito de uma boa resenha. As brincadeiras são sempre saudáveis. Tenho facilidade para fazer amizade”, emendou Lepu.

“O grupo desse ano é fantástico. Em menos de uma semana, já nos entrosamos demais. Permaneceram vários atletas da temporada passada, e retornaram outros que já atuaram no clube. Isso facilitou o bom ambiente.

O Josué é tranquilo, fácil de trabalhar. Exige muito de quem tem potencial. Trabalha naquilo em que precisamos mais. É amigo até você falhar com ele. Confio plenamente no seu trabalho.

Nosso foco é passar na primeira fase. Queremos chegar no grupo de elite. Teremos o Moacyrzão e a nossa torcida como armas fundamentais. Conhecemos bem o estádio. O gramado é um enorme aliado”, finalizou Lepu.

1