• +(21) 99639-3362
  • contato@guilhermekroll.com

Moacyr Luz

Luz Que Ilumina

Luz Que Ilumina

A Escola Sentrinho, de Macaé, teve a sabedoria de convidar Moacyr Luz para marcar seu aniversário de lutas e sucessos. Há muito tempo que um espetáculo musical não mexia tanto comigo. E olha que vivo esse ambiente diariamente, cobrindo shows de enorme magnitude.

A Escola Sentrinho soma 29 anos de bons serviços prestados à comunidade macaense, no sentido de proporcionar às crianças com dificuldades neurológicas a oportunidade de superação dos seus limites. Assim, merecidamente a instituição comemorou a data com um super show do cantor e compositor Moacyr Luz, realizando mais uma edição do Gourmet Sentrinho-Unimed.

Moacyr Luz, o Moa do Samba do Trabalhador, um dos maiores compositores do país, se apresentou com toda dignidade e magia que um grande artista pode apresentar.

Moacyr Luz
Nascido em 5 de abril de 1958, o carioca Moacyr Luz é um dos maiores músicos e compositores brasileiros do pais. Possui nove CDs gravados trazendo em cada trabalho importantes referências à Música Brasileira. Do primeiro, relançado em CD “Moacyr Luz 1988” as participações de Raphael Rabello, Sivuca e Hélio Delmiro, dão um caráter acústico e lírico às canções primeiras da dupla Moacyr Luz e Aldir Blanc. Em “Vitória da Ilusão” uma fusão de ritmo traduz dez anos da parceria, reunindo Medalha de São Jorge, Mico Preto, Saudades da Guanabara e Flores em Vida pra Nelson Sargento.

O CD “Mandingueiro” tem como referência maior o samba. Elogiado pela crítica, o disco resgata a formação clássica das rodas de samba predominando as dobradinhas: cavaquinho e violão, bandolim e sete cordas, pandeiro, surdo, cuíca e tamborim. No repertório sambas como Anjo da Velha Guarda, Pra Que Pedir Perdão e Cachaça, Árvore e Bandeira. “Na Galeria” seu quarto CD, onde mostra o intérprete como carreira, recebendo críticas relevantes. Um repertório de compositores clássicos e arranjos intimistas, mas sofisticados. Foi considerado um dos melhores lançamentos do gênero do ano.

Roda de Samba

O cantor foi acompanhado por uma excelente roda-de-samba, composta pelos seguintes músicos: Lúcio Rodrigues – Violão 7 cordas; Werlles de Paula – Flauta; Daniel Abreu Assis – Cavaco; Diorninho – Surdo; Sergio Malakay – Cuíca – Percussão Geral; Diego Barros – pandeiro; Pêconversaê – Repique – Percussão Geral; Jorge Benzê – Coro; Lita Lopes – Coro; Sonorização – Klebão.

Samba do Trabalhador, no Renascença (Rio de Janeiro)

Para quem ouve falar do Samba do Trabalhador pela primeira vez, pode até parecer estranho que uma das rodas de samba mais tradicionais do Rio aconteça na segunda-feira à tarde. Mas é isso mesmo! Toda segunda, a partir das 16h, o Clube Renascença recebe a roda comandada pelo bamba Moacyr Luz. O Samba do Trabalhador é mais do que um reduto de boa música, é uma bela demonstração da cultura carioca!

Moacyr Luz tem uma vasta carreira como cantor e compositor – são 12 discos gravados, incluindo músicas com participação de diversos artistas, como Alcione, Beth Carvalho, Mart’nália, Luiz Melodia, Zeca Pagodinho. Assim como mais de 100 músicas de sua autoria e coautoria já ganharam o Brasil através das vozes de Martinho da Vila, Maria Bethânia, Nana Caymmi, Zeca Pagodinho e Gilberto Gil, entre outros.

Em 2005, Moa (como é conhecido pelos amigos e fãs) teve a ideia de criar uma roda de samba na segunda-feira à tarde. O horário, inadequado para grande parte da população, seria ótimo para reunir os músicos, que costumam ter suas agendas lotadas nos finais-de-semana. Não foi algo muito planejado… Numa comemoração no Renascença Clube, Moa falou com o então presidente do clube Jorge Ferraz, que aceitou de pronto a sugestão. Poucos dias e muitas ligações depois, a primeira edição do Samba do Trabalhador aconteceu. Era uma reunião de músicos e convidados (em torno de 40 pessoas no total), que iniciou com um almoço preparado pelo próprio presidente do clube e terminou pelas 20h.

 

 

1